Resenha | Outlander: A viajante do tempo

Primeiro livro da série Outlander, que se tornou um fenômeno mundial e foi transformada na bem-sucedida série de TV. “Um sucesso arrasador.” – The Wall Street Journal “Diana Gabaldon tem poucos concorrentes no que diz respeito a escrever romances históricos.” – Publishers Weekly Em 1945, no final da Segunda Guerra Mundial, a enfermeira Claire Randall volta para os braços do marido, com quem desfruta uma segunda lua de mel em Inverness, nas Ilhas Britânicas. Durante a viagem, ela é atraída para um antigo círculo de pedras, no qual testemunha rituais misteriosos. Dias depois, quando resolve retornar ao local, algo inexplicável acontece: de repente se vê no ano de 1743, numa Escócia violenta e dominada por clãs guerreiros. Tão logo percebe que foi arrastada para o passado por forças que não compreende, Claire precisa enfrentar intrigas e perigos que podem ameaçar a sua vida e partir o seu coração. Ao conhecer Jamie, um jovem guerreiro das Terras Altas, sente-se cada vez mais dividida entre a fidelidade ao marido e o desejo pelo escocês. Será ela capaz de resistir a uma paixão arrebatadora e regressar ao presente?
Título Outlander: A viajante do tempo | Série Outlander - livro 1 | Autor (aDiana Gabaldon
Editora Arqueiro (Livro cedido pela editora) | Páginas 752 | Ano 2018
Adicione Skoob
Compre Oferta Amazon


Sendo bastante extenso para o primeiro volume de uma série, se comparado com outros livros populares, me senti tendo em mãos um dos livros de Game of Trones, ou a coleção do Guia do Mochileiro das Galáxias, quando o peguei pela primeira vez. Apesar de ser pouco prático de levar por aí, a vontade de carregá-lo na bolsa foi bem grande e me venceu diversas vezes.

A história leva o leitor a uma atmosfera bem diferente das quais eu já havia tido a oportunidade de me envolver, seja em livros, series ou filmes - mesmo tendo ouvido falar que a Escócia do século XVIII está muito popular na literatura atual.

Me surpreendi pelo livro não focar nas diferenças de roupas e costumes de uma maneira trivial, como outros livros de mudança de época fazem. O contexto não é apresentado como é pela mente de uma adolescente, mas sim de uma mulher casada que está familiarizada com a história do local onde se encontra, devido a leituras e mesmo conversas com seu marido apaixonado pelo passado. Ao invés disso, o que chama atenção da personagem principal é o misticismo ao redor do que a levou de volta ao passado, e mesmo do porquê daquela época em específico.

O romance entre Claire e Jaime se passa em segundo plano, sendo mera consequências dos acontecimentos. A personagem principal é humana no quesito de se sentir dividida entre voltar pra casa e sentir falta das amizades feitas durante sua viagem ou permanecer onde está e abandonar sua vida “real”.

Os costumes diferentes da época são apresentados de maneira racional em relação ao que estamos acostumados no século XXI, como por exemplo a submissão das mulheres em relação a seus maridos e homens em geral, casamentos arranjados, e também mostra a diferença entre os meios que as mulheres tinham para conseguir suas vontades em um âmbito que dificilmente uma mulher ganhava a palavra por intermédio da discussão.

No geral, é uma leitura extremamente agradável. Como fantasia, cumpre a missão de fazer o leitor esquecer do presente e se aventurar pela Escócia de 200 anos atrás. Como romance, faz com que nos apaixonemos pelos personagens e a empatia gerada faz com que a história seja mais vívida. Cada página virada é uma aventura diferente que com certeza vale o peso extra do livro na bolsa! 

“Deixe que eu lhe diga em seu sono o quanto eu a amo. Porque as palavras que lhe digo quando está acordada são sempre as mesmas, não são suficientes. Enquanto você dormir em meus braços, posso dizer-lhe coisas que soariam tolas e loucas, e seus sonhos entenderão a verdade delas. Volte a dormir, mo duinne.”


DIANA GABALDON cresceu no Arizona, Estados Unidos, e é de ascendência mexicano-americana e inglesa. Tem formação em Zoologia, Biologia Marinha e Ecologia. Foi professora universitária durante mais de doze anos antes de se dedicar à escrita em tempo integral. Sua série Outlander se tornou um enorme sucesso mundial e foi adaptada para a TV em 2014, ganhando o BAFTA e sendo indicada ao Globo de Ouro e ao Emmy. No Brasil, as temporadas 1 e 2 estão disponíveis na FOX Premium APP & TV e na Netflix, e as temporadas 3 e 4 são exclusivas da FOX Premium. Atualmente Diana mora em Scottsdale, no Arizona.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram