Resenha | Mais forte que o sol (Irmãs Lyndon # 2)


Quando Charles Wycombe, o irresistível conde de Billington, cai de uma árvore – literalmente aos pés de Elllie Lyndon –, nenhum dos dois suspeita que esse encontro atrapalhado possa acabar em casamento. Mas o conde precisa se casar antes de completar 30 anos, do contrário perderá sua fortuna. Ellie, por sua vez, tem que arranjar um marido ou a noiva intrometida e detestável de seu pai escolherá qualquer um para ela. Por isso o moço alto, bonito e galanteador que surge aparentemente do nada em sua vida parece ter caído do céu. Charles e Ellie se entregam, então, a um casamento de conveniência, ela determinada a manter a independência e ele a continuar, na prática, como um homem solteiro. No entanto, a química entre os dois é avassaladora e, enquanto um beijo leva a outro, a dupla improvável descobre que seu casamento não foi tão inconveniente assim, afinal...

Título Mais forte que o sol Série Irmãs Lyndon # 2
 | Autor (aJulia Quinn
Editora Arqueiro (Livro cedido pela editora) | Páginas 288 | Ano 2018
Adicione Skoob
Compre Oferta Amazon


Este livro superou minhas expectativas, já tinha adorado o primeiro da duologia, porém quando tive esse em mãos o li em dois dias e tive a sensação de que eu tinha lido muito pouco desta história tão maravilhosa.

Ellie London é uma mocinha para lá de diferente, não espere ver senhorita Ellie London aninhada no sofá lendo ou costurando, ou fazendo qualquer outra atividade enquanto espera por seu príncipe encantado porque ela não faz este tipo. Dona de uma determinação, inteligência, facilidade para com os números e uma língua afiadíssima, Ellie sabe o quer e não precisa de um cavalheiro para lhe proporcionar isso. Porém sua vida não é um mar de rosas, é a própria Cinderela, filha de um vigário que está prestes a se casar com uma verdadeira megera que quer que ela se case com qualquer um apenas para que saia de casa, a faz de gato e sapato mesmo antes de ser oficialmente sua madrasta. O pior é que Victoria, sua irmã, está impossibilitada de ajudá-la num momento próximo, e, apesar, de ter dinheiro investido, Ellie não pode o resgatar por ser mulher.

Quando o conde de Billington cai de uma árvore a seus pés, e lhe oferece um casamento de conveniência, Ellie nem imaginava que além de ser a solução para seus problemas, ele seria também o amor de sua vida.

Charles é o típico mocinho que arrasa corações por onde passa e se aproveita dessa sua facilidade em atrair o público feminino, vê- se face a face com a pobreza, já que ele só receberá a fortuna a qual tem direito se ele se casar antes dos 30 ( o que só faltam 15 dias para isso, imagine o desespero do adorável conde!) . Ao cair de uma árvore e se deparar com Elllie, vê nela uma excelente oportunidade para sair da enrascada que seu querido pai o colocou, mas o que ele acreditava que seria apenas de conveniência, que lhe daria direito de pular várias cercas sem que sua esposa se opusesse, torna-se algo que nenhum dos nossos protagonistas esperaria, ou sequer, pensaria.

Amei demais este casal, ri muito com eles, a língua afiada de Ellie me proporcionou momentos divertidíssimos, sou suspeita para dizer, porque amo histórias assim, que os personagens se odeiam e passam a se amar, que se provocam o tempo inteiro, para mim são as melhores histórias de amor, e este não deixa a desejar, te envolve do começo ao fim, fazendo com que o leitor se sinta parte da história. Ellie é uma personagem extremamente cativante, com sua mente moderna querendo ser dona de si em uma época em que mulheres não tinham esse direito, nos faz ficar apaixonados por ela e por toda a sua determinação de tentar ser diferente do que a sociedade a impunha a ser. Charles no início aparenta ser apenas um bêbado egoísta e sem juízo, mas com o passar da história percebemos que não é bem assim e que ele tem um coração de ouro.

Comparando este livro com o primeiro da duologia fico com este sem dúvidas, são histórias e personagens extremamente distintos mas essa história me arrebatou, me envolveu muito mais que a primeira. Se eu já comecei a gostar de Julia por causa do primeiro livro, por causa desse virei fã! Extremamente bem escrito, com doses certas de humor e romance, com uma escrita fluída e de fácil compreensão, com certeza já entrou para minha lista de romances de época favoritos, quiçá para minha lista de livros favoritos!!!

Ele era um homem melhor do que pensara. Ellie sentiu algo quente e doce em seu coração e se perguntou se poderiam ser os primeiros sinais de amor.


JULIA QUINN começou a trabalhar em seu primeiro romance um mês depois de terminar a faculdade e nunca mais parou de escrever. Seus livros já atingiram a marca de 8 milhões de exemplares vendidos, sendo 3,5 milhões da série Os Bridgertons. É formada pelas universidades Harvard e Radcliffe. Seus livros já entraram na lista de mais vendidos do The New York Times e foram traduzidos para 26 idiomas. Foi a autora mais jovem a entrar para o Romance Writers of America’s Hall of Fame, a Galeria da Fama dos Escritores Românticos dos Estados Unidos, e atualmente mora com a família no Noroeste Pacífico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário