Resenha | Operação Red Sparrow



Desde pequena, o sonho de Dominika Egorova era fazer parte do Bolshoi, o balé mais importante da Rússia. Após ser vítima de uma sabotagem, porém, ela vê sua promissora carreira se encerrar de forma abrupta. Logo em seguida, mais um golpe: a morte inesperada do pai, seu melhor amigo.
Desnorteada, Dominika cede à pressão do tio, vice-diretor do serviço secreto da Rússia, o SVR, e entra para a organização. Pouco tempo depois, é mandada à Escola de Pardais, um instituto onde homens e mulheres aprendem técnicas de sedução para fins de espionagem.
Em seus primeiros meses como pardal, ela recebe uma importante missão: conquistar o americano Nathaniel Nash, um jovem agente da CIA, responsável por um dos mais influentes informantes russos que a agência já teve. O objetivo é fazê-lo revelar a identidade do traidor, que pertence ao alto escalão do SVR.
Logo Dominika e Nate entram num duelo de inteligência e táticas operacionais, apimentado pela atração irresistível que sentem um pelo outro.

Título Operação Red Sparrow | Autor (aJason Matthews
Editora Arqueiro (Livro cedido pela editora) | Páginas 432 | Ano 2018
Adicione Skoob
Compre Oferta Amazon


A primeira parte do livro é de apresentação dos personagens e do contexto geral em que o drama se desenvolve... E que drama!

Não é um romance como estamos acostumados, e, quando digo isso, quero dizer que os personagens principais se envolvem de uma maneira completamente diferente dos de romances que lemos e vivenciamos. Os dois personagens principais são de certa forma, do mesmo universo e de lados opostos, de uma maneira que torna impossível um romance verdadeiro e tranquilo, em que se envolvam sinceramente sem causar pelo menos algumas mortes. E elas acontecem antes mesmo de eles se apaixonarem, de forma bem explícita e tão cruel que tive dificuldade de ler algumas partes!

Confesso que gostei bem mais do passado de Dominika do que o de Nathaniel Nash.   Muito mais envolvente, ele fez com que eu me colocasse em seu lugar e sofresse junto com ela nas injustiças que estragaram seu futuro brilhante.

Além do casal principal, o livro traz de forma bem desenvolta a história dos personagens secundários, que são muito bem construídos. O livro explana sobre o passado deles, sobre a forma que pensam, suas virtudes e defeitos, no que se baseiam sua moral e honra, e muitas vezes, na falha delas.

Tive a impressão de que esse romance não é muito sobre o romance romântico, mas sim sobre coincidências e imprevistos que constroem a vida das pessoas no geral, focando nessas vidas em particular que não são necessariamente boas ou más, nem certas ou erradas, já que a vida não é feita apenas de dois lados.

É um bom livro pra quem gosta de mistérios e intrigas em um nível mórbido padrão CIA e SVR, onde o leitor anseia e teme o passar das próximas páginas.

Não preciso nem dizer que não pode contar nada a ninguém. Jamais. Não só por uma questão de dever, mas de responsabilidade.


JASON MATTHEWS é um oficial da CIA aposentado do setor de Operações Direcionadas, agora conhecido como Serviço Nacional Clandestino. Por 33 anos de carreira ele serviu em múltiplos lugares através do mundo, engajado em uma coleção de operações de segurança e inteligência secretas, especializado em áreas de operações proibidas. Matthews conduziu o recrutamento para operações contra o leste europeu soviético, leste da Ásia e Oriente-Médio junto com alvos caribenhos como chefe de várias estações da CIA, dirigiu projetos e ações infiltradas como o de Armas de Destruição em Massa, e colaborou com agentes de ligação estrangeiros no programa de contraterrorismo. Ele vive no sudeste da Califórnia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário