Resenha | Mais Lindo Que A Lua (Irmãs Lyndon #1)



Considerada "a rainha dos romances de época" pela Goodreads, Júlia Quinn já atingiu a marca de 10 milhões de livros vendidos.
Mais Lindo Que a Lua, primeiro livro primeiro livro da série Irmãs Lyndon, é uma história irresistível sobre sobre reencontro e desafios, romantismo e perseverança.
Foi amor à primeira vista. Mas Victoria Lyndon era a filha do vigário, e Robert Kemble, o elegante conde de Macclesfield. Foi o que bastou para os pais dos dois serem contra a união. Assim, quando o plano de fuga dos jovens deu errado, todos acreditaram que foi melhor assim.
Sete anos depois, quando Robert encontra Victoria por acaso, não consegue acreditar no que acontece: a garota que um dia destruiu seus sonhos ainda o deixa sem fôlego. E Victoria também logo vê que continua impossível resistir aos encantos dele. Mas como ela poderia dar uma segunda chance ao homem que lhe prometeu casamento e depois despedaçou suas esperanças?
Então, quando Robert lhe oferece um emprego um tanto incomum – ser sua amante –, Victoria não aceita, incapaz de sacrificar a dignidade, mesmo por ele. Mas Robert promete que Victoria será dele, não importa o que tenha que fazer. Depois de tantas mágoas, será que esses dois corações maltratados algum dia serão capazes de perdoar e permitir que o amor cure suas feridas?

Título Mais Lindo Que A Lua | Série Irmãs Lyndon #1 | Autor (aJulia Quinn
Editora Arqueiro (Livro cedido pela editora) | Páginas 271 | Ano 2018
Adicione Skoob
Compre Oferta Amazon


Mais Lindo Que A Lua é o primeiro livro da duologia Irmãs Lyndon, escrito pela autora Julia Quinn.

Victoria Lyndon, filha de um vigário, e Robert Kemble, conde de Macclesfield, se veem ainda jovens, 17 e 24 anos respectivamente, envolvidos em um romance à primeira vista. Como todo jovem casal, fazem planos de um futuro feliz e próspero, contudo nem tudo são flores: o pai de Victoria não acredita nas boas intenções de Robert e deixa claro à sua filha que o jovem rapaz só quer diversão, por outro lado, o pai de Robert acredita que a jovem moça apenas está interessada no dinheiro e na posição social de seu filho. Em certa noite decidem fugir para se casarem em segredo, porém não contavam com a intervenção contrária de seus pais, causando uma separação dolorosa a ambos.

Sete anos depois, Victoria é a preceptora de Nevile Hollingwood, em Norfolk, uma criança mimada e sem qualquer educação. Ela tenta com muito esforço disciplinar o garotinho de apenas cinco anos, mas a tarefa não é nem de perto fácil. Embora odeie o trabalho, ela sabe que é sua única forma de sustento desde que abandonou seu lar.

Por ironia do destino, os caminhos de Victoria e Robert voltam a se cruzar, e eles terão que lidar com todos os assuntos mal resolvidos do passado e decidirem se dão finalmente um ponto final à história que começou sete anos antes ou dão-se uma nova oportunidade de compreenderem o que houve, de deixarem as mágoas e ressentimentos para trás e darem continuidade à história de amor  rumo ao felizes para sempre.

Confesso que quando peguei este livro não estava com grandes expectativas de que iria gostar dele, entretanto tornou- se um dos meus preferidos. Acredito que muitos de vocês ao ler isso irão achar que sou louca, já que a Julia é considerada a rainha dos romances de época, porém li apenas dois livros dela e sinto dizer que para mim foram medianos... Mas este me surpreendeu! Não pelo amor à primeira vista, mas pelos sete anos depois, o encontro entre Victoria e Robert é explosivo, ela  querendo manter distância dele, prezando mais que tudo por sua liberdade, não conseguindo mais se ver dependente de um homem, sem controle da própria vida e do próprio destinoe ele querendo vingança, fazê-la sofrer o tanto quanto, ou mais, que ele sofreu, apenas não contava que o amor que ele sentia por ela falaria mais alto.

Cheio de diálogos afiados, cenas divertidas, apreensivas e às vezes um tantinho eróticas,  nos prende do início ao fim, deixando o leitor com um gostinho de quero mais. Mal vejo a hora de ler a continuação, Mais Brilhante Que O Sol, com a irmã mais nova de Victoria, Eleonor Lyndon, prevejo cenas hilárias e apaixonantes, já que Ellie no primeiro livro deixa claro ser uma garota pra lá de esperta, leal e com uma língua um tanto quanto afiada.

Apesar de tudo o que ele a fizera passar no último mês, não conseguia imaginar a vida sem os sorrisos tortos dele, o  brilho em seus olhos ou o modo como seus cabelos nunca pareciam ter sido adequadamente penteados.


JULIA QUINN começou a trabalhar em seu primeiro romance um mês depois de terminar a faculdade e nunca mais parou de escrever. Seus livros já atingiram a marca de 8 milhões de exemplares vendidos, sendo 3,5 milhões da série Os Bridgertons.
É formada pelas universidades Harvard e Radcliffe. Seus livros já entraram na lista de mais vendidos do The New York Times e foram traduzidos para 26 idiomas. Foi a autora mais jovem a entrar para o Romance Writers of America’s Hall of Fame, a Galeria da Fama dos Escritores Românticos dos Estados Unidos, e atualmente mora com a família no Noroeste Pacífico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário