Os lugares por onde Robert Langdon passou


Dan Brown foi um dos grandes incentivadores em minha vida literária. O primeiro livro que li do autor foi o incrível O Símbolo Perdido e a partir daí desenvolvi o amor e o fascínio pelas aventuras do professor Robert Langdon. O que mais me faz gostar das aventuras escritas pelo autor, é a sua capacidade de inserir lugares reais em suas historias. Adoro ler e pesquisar os cenários por onde o nosso personagem passa, é quase um tour pelo mundo! O Você Sabia? de hoje é dedicado a esses cenários! Confira!



ANJOS E DEMÔNIOS

Antes de decifrar O código Da Vinci, Robert Langdon, o famoso professor de simbologia de Harvard, vive sua primeira aventura em Anjos e demônios, quando tenta impedir que uma antiga sociedade secreta destrua a Cidade do Vaticano. Às vésperas do conclave que vai eleger o novo Papa, Langdon é chamado às pressas para analisar um misterioso símbolo marcado a fogo no peito de um físico assassinado em um grande centro de pesquisas na Suíça. Ele descobre indícios de algo inimaginável: a assinatura macabra no corpo da vítima é dos Illuminati, uma poderosa fraternidade que ressurgiu disposta a levar a cabo a lendária vingança contra a Igreja Católica. De posse de uma nova arma devastadora, roubada do centro de pesquisas, ela ameaça explodir a Cidade do Vaticano e matar os quatro cardeais mais cotados para a sucessão papal. Correndo contra o tempo, Langdon voa para Roma junto com Vittoria Vetra, uma bela cientista italiana. Numa caçada frenética por criptas, igrejas e catedrais, os dois desvendam enigmas e seguem uma trilha que pode levar ao covil dos Illuminati - um refúgio secreto onde está a única esperança de salvação da Igreja nesta guerra entre ciência e religião.





O CÓDIGO DA VINCI 


Um assassinato dentro do Museu do Louvre, em Paris, traz à tona uma sinistra conspiração para revelar um segredo que foi protegido por uma sociedade secreta desde os tempos de Jesus Cristo. A vítima é o respeitado curador do museu, Jacques Saunière, um dos líderes dessa antiga fraternidade, o Priorado de Sião, que já teve como membros Leonardo da Vinci, Victor Hugo e Isaac Newton. Momentos antes de morrer, Saunière consegue deixar uma mensagem cifrada na cena do crime que apenas sua neta, a criptógrafa francesa Sophie Neveu, e Robert Langdon, um famoso simbologista de Harvard, podem desvendar. Os dois transformam-se em suspeitos e em detetives enquanto percorrem as ruas de Paris e de Londres tentando decifrar um intricado quebra-cabeças que pode lhes revelar um segredo milenar que envolve a Igreja Católica. Apenas alguns passos à frente das autoridades e do perigoso assassino, Sophie e Robert vão à procura de pistas ocultas nas obras de Da Vinci e se debruçam sobre alguns dos maiores mistérios da cultura ocidental - da natureza do sorriso da Mona Lisa ao significado do Santo Graal.





O SÍMBOLO PERDIDO 

Em O símbolo perdido, o célebre professor de Harvard é convidado às pressas por seu amigo e mentor Peter Solomon - eminente maçom e filantropo - a dar uma palestra no Capitólio dos Estados Unidos. Ao chegar lá, descobre que caiu numa armadilha. Não há palestra nenhuma, Solomon está desaparecido e, ao que tudo indica, correndo grande perigo. Mal'akh, o sequestrador, acredita que os fundadores de Washington, a maioria deles mestres maçons, esconderam na cidade um tesouro capaz de dar poderes sobre-humanos a quem o encontrasse. E está convencido de que Langdon é a única pessoa que pode localizá-lo. Vendo que essa é sua única chance de salvar Solomon, o simbologista se lança numa corrida alucinada pelos principais pontos da capital americana: o Capitólio, a Biblioteca do Congresso, a Catedral Nacional e o Centro de Apoio dos Museus Smithsonian. Neste labirinto de verdades ocultas, códigos maçônicos e símbolos escondidos, Langdon conta com a ajuda de Katherine, irmã de Peter e renomada cientista que investiga o poder que a mente humana tem de influenciar o mundo físico. O tempo está contra eles. E muitas outras pessoas parecem envolvidas nesta trama que ameaça a segurança nacional, entre elas Inoue Sato, autoridade máxima do Escritório de Segurança da CIA, e Warren Bellamy, responsável pela administração do Capitólio. Como Langdon já aprendeu em suas outras aventuras, quando se trata de segredos e poder, nunca se pode dizer ao certo de que lado cada um está. Nas mãos de Dan Brown, Washington se revela tão fascinante quanto o Vaticano ou Paris. Em O Símbolo Perdido, ele desperta o interesse dos leitores por temas tão variados como ciência noética, teoria das supercordas e grandes obras de arte, os desafiando a abrir a mente para novos conhecimentos.





INFERNO

 Neste novo e fascinante thriller Dan Brown retoma a mistura magistral de história, arte, códigos e símbolos que o consagrou em O código Da Vinci, Anjos e demônios e O símbolo perdido e faz de Inferno sua aposta mais alta até o momento. No coração da Itália, Robert Langdon, o professor de Simbologia de Harvard, é arrastado para um mundo angustiante centrado em uma das obras literárias mais duradouras e misteriosas da história: O Inferno, de Dante Alighieri. Numa corrida contra o tempo, Langdon luta contra um adversário assustador e enfrenta um enigma engenhoso que o arrasta para uma clássica paisagem de arte, passagens secretas e ciência futurística. Tendo como pano de fundo o sombrio poema de Dante, Langdon mergulha numa caçada frenética para encontrar respostas e decidir em quem confiar, antes que o mundo que conhecemos seja destruído.





ORIGEM

De Onde Viemos? Para Onde Vamos? Robert Langdon, o famoso professor de Simbologia de Harvard, chega ao ultramoderno Museu Guggenheim de Bilbao para assistir a uma apresentação sobre uma grande descoberta que promete “mudar para sempre o papel da ciência”. O anfitrião da noite é o futurólogo bilionário Edmond Kirsch, de 40 anos, que se tornou conhecido mundialmente por suas previsões audaciosas e invenções de alta tecnologia. Um dos primeiros alunos de Langdon em Harvard, há 20 anos, agora ele está prestes a revelar uma incrível revolução no conhecimento… algo que vai responder a duas perguntas fundamentais da existência humana. Os convidados ficam hipnotizados pela apresentação, mas Langdon logo percebe que ela será muito mais controversa do que poderia imaginar. De repente, a noite meticulosamente orquestrada se transforma em um caos, e a preciosa descoberta de Kirsch corre o risco de ser perdida para sempre. Diante de uma ameaça iminente, Langdon tenta uma fuga desesperada de Bilbao ao lado de Ambra Vidal, a elegante diretora do museu que trabalhou na montagem do evento. Juntos seguem para Barcelona à procura de uma senha que ajudará a desvendar o segredo de Edmond Kirsch. Em meio a fatos históricos ocultos e extremismo religioso, Robert e Ambra precisam escapar de um inimigo atormentado cujo poder de saber tudo parece emanar do Palácio Real da Espanha. Alguém que não hesitará diante de nada para silenciar o futurólogo. Numa jornada marcada por obras de arte moderna e símbolos enigmáticos, os dois encontram pistas que vão deixá-los cara a cara com a chocante revelação de Kirsch… e com a verdade espantosa que ignoramos durante tanto tempo.

10 comentários:

  1. Oie, tudo bem?!? Adorei a postagem. O Dan Brown é, para mim, um dos grandes autores contemporâneos. Ele consegue nos fazer mergulhar intensamente no universo que ele cria, seja onde for e como for, sempre nos vemos corre do com o professor Langdon.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Achei muito bacana a sua postagem, apesar de ainda não ter lido as obras do autor, mas está na minha lista!
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Se tem um livro que não consigo ler é esses do Brown, tenho dois na minha estante e não passo das 5 primeiras páginas. O mesmo aconteceu com os filmes quando tentei assistir, não rola, não me prende. Masa posso notar que a escrita dele é rica em detalhes.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oieee,
    Acho que isso é o que mais me fascina nas narrativas de Dan Brown, os passeios por inúmeros lugares do mundo, desde a primeira vez, sempre leio ele com o celular do lado e vou abrindo conforme ele vai descrevendo os locais, isso torna tudo mais mágico.

    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Ola , a escrita do autor é fascinante. comecei a ler Origem e já estou amando, ainda não li todas as aventuras de nosso protagonista mas vou remediar isso com certeza, a cada livro embarcamos em uma viagem sem fim com cenários maravilhosos. ótima postagem. beijos

    Joyce
    Livros Encantos

    ResponderExcluir
  6. Olá! Só falta ler A Origem, que já está no Kindle! Amo os livros de Dan Brown, principalmente os com Robert. É fascinante a viagem que eles nos faz ter, são lugares maravilhosos! Parabéns pelo post! Beijos!

    ResponderExcluir
  7. OOOiiiii,já li quase todos os livros do Dan Brown que tem o Robert Langdon como personagem principal e achei seu post super bacana... Quando li Anjos e Demônios foi uma edição ilustrada e eu babava nas imagens, foi uma experiência indescritível!

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem?
    Que legal seu post! Langdon andou pra caramba em suas aventuras e eu nunca tinha visto tudo junto assim como você colocou.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  9. Carine, apesar de ter alguns livros do Dan Brown ainda não li nenhum, com certeza chegará o momento e sua paixão é tão explícita que me motivou a pensar com mais carinho em investir logo na leitura dos livros do autor.

    Bjins
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Eu confesso que ainda não li nada do autor, mas tenho muita curiosidade em conhecer. Vi o filme Anjos e Demônios e O Código da Vinci e achei o máximo. Espero poder ler os livros em breve.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir


@hojeediadelivro