RECEBA NOVIDADES

Envie seu e-mail


4 de out de 2016

OUTUBRO TREVOSO #02 | 5 livros psicopatas para esse Halloween

Hoje é dia de livro 0💬
Outubro é o mês mais DARK do ano, o que nos faz lembrar de uma certa caveirosa trevosa editora. Pois muito bem, para celebrar mais um ano de DarkSide (a editora mais DARK do Brasil), e também o Halloween, apresentamos para vocês o OUTUBRO TREVOSO, que tem como objetivo apresentar um conteúdo diversificado (livros, filmes) relacionado com o literário obscuro da editora.

OUTUBRO TREVOSO #01 | Abra os arquivos sobrenaturais do casal Warren

Não sabe o que ler nesse mês??? Chega mais, porque nós do Hoje é dia de Livro iremos separar para vocês, cinco livros crime scenes, psicopatas e trevosos da DarkSide para se inspirar nesse Halloween, no quesito fantasia, claro. Confira:




AMERICAN CRIME STORY: O POVO CONTRA O.J. SIMPSON

Ele construiu sua reputação escapando dos adversários. Mas dos campos de futebol americano para as rodovias de Los Angeles, muita coisa aconteceu. Agora era a polícia que corria atrás dele. O derradeiro touchdown de O.J. Simpson seria a bordo de uma caminhonete Ford Bronco, durante a primeira perseguição de carro transmitida ao vivo via satélite para todo o mundo.
Esse é o mais completo livro sobre o caso, e foi escrito por Jeffrey Toobin, repórter que cobriu o julgamento para a revista New Yorker. Mesmo partindo do princípio que Simpson era culpado, o livro apresenta informações minuciosas que ajudam a desvendar por que O.J. foi inocentado naquele grande circo que virou seu julgamento.
E que julgamento! Os autos totalizaram mais de 50 mil páginas e 1 milhão de linhas escritas. Durante 372 dias, foram ouvidas 133 testemunhas. Tudo isso está registrado nesse incrível livro.


MANSON, A BIOGRAFIA DEFINITIVA
(COMPRE JÁ - EBOOK)

Sexo, drogas e rock 'n' roll. Crimes, estupros e assassinatos. Charles Manson fez de sua história a trilha sonora do fim do mundo. A metáfora favorita da América para o lado negro dá década de 1960, Manson foi o cabeludo que matou o sonho de Woodstock e o retrato perfeito de como toda aquela filosofia da geração paz e amor não funcionou.
Psicopata, vigarista, racista e cafetão. Olhos em chamas, barba por fazer, cabelos despenteados e uma suástica tatuada na testa. A diabólica imagem de Charles Manson está gravada no inconsciente popular e é reconhecidamente assustadora. Após quatro décadas dos seus terríveis atos, os assassinatos orquestrados por ele continuam a exercer um mórbido fascínio. Dezenas de livros já foram escritos sobre Manson nesses mais de quarenta anos, e agora uma meticulosa pesquisa desenvolvida pelo biógrafo Jeff Guinn surge como o guia definitivo do homem que entrou para a história como sinônimo do mal.
Manson, a Biografia consegue, contra todas as possibilidades, oferecer uma visão fresca e um complemento digno e, porque não, acima do até então melhor livro sobre o caso: Helter Skelter, de Vincent Bugliosi. Resultado de dois anos de pesquisas, o livro de Guinn oferece uma nova visão para aqueles que vivenciaram a turbulenta era de paz & amor assim como o contexto necessário para as gerações que vieram depois. Ler o livro é como vivenciar aquela época. Guinn consegue transportar o leitor para os dias de ira e caos, sexo e drogas, rock 'n' roll e celebridades, costurando o homem em seu ambiente, um ambiente perfeito e catastrófico, que forneceu todas as respostas que uma mente doentia como a de Manson ansiava em encontrar. O que emerge é um retrato sombrio, mas altamente convincente, de um "eterno predador social" que era "sempre o homem errado no lugar certo e na hora certa".


ARQUIVOS SERIAL KILLERS - LOUCO OU CRUEL?

A primeira parte de "Louco ou Cruel?" aborda os serial killers sob diversos aspectos e à luz da Criminologia, do Direito, da Psiquiatria e da Psicologia, e dedica-se a dissecar este universo, analisando como tudo começa, quem são as vítimas, os aspectos gerais e psicológicos, os mitos e as crenças, o perfil do criminoso, a psicologia investigativa, a análise do local do crime e a encenação/organização da cena. Na segunda parte do livro, Casoy apresenta em detalhes 16 casos de serial killers que chocaram e marcaram o século XX, entre eles Albert Fish, Ed Gein, Ted Bundy, Andrei Chikatilo, Jeffrey Dahmer, Aileen Wuornos e o Zodíaco, cuja identidade segue desconhecida até hoje. Histórias que habitam as entranhas da humanidade e o que ela tem de pior: frieza, perversidade e falta de sensibilidade que acabam por produzir o mal em escalas inimagináveis.


ARQUIVOS SERIAL KILLERS – MADE IN BRAZIL
(COMPRE JÁ)

Após o sucesso do seu primeiro livro, Ilana Casoy dedicou-se a uma pesquisa rigorosa para investigar os serial killers brasileiros, no que viria a ser o primeiro livro do gênero dedicado aos assassinos em série do Brasil. Foram cinco anos de pesquisas, visitas a arquivos públicos, manicômios e penitenciárias, além de entrevistas cara a cara com personificações do mal em terras tupiniquins, para compor um inquietante roteiro com rigor investigativo de como, por quê e com que métodos os serial killers brasileiros atuam.
Em Made in Brazil, Casoy relata sete casos de serial killers brasileiros, três dos quais ela entrevistou pessoalmente: Marcelo Costa de Andrade, o vampiro de Niterói, um dos casos e depoimentos mais chocantes do currículo da autora; Francisco Costa Rocha, o Chico Picadinho; e Pedro Rodrigues Filho, o Pedrinho Matador. Um relato cruel feito pelos próprios assassinos, conduzido com maestria por quem entende do assunto, que procura guiar o leitor pela sinuosa mente de pessoas frias e com movimentos mais que premeditados para o mal. Além deles, a autora se debruça sobre a vida e os crimes de José Augusto do Amaral (Preto Amaral), Febronio Índio do Brasil, Benedito Moreira de Carvalho (Monstro de Guaianases) e José Paz Bezerra (Monstro do Morumbi).


SOCIAL KILLERS – AMIGOS VIRTUAIS, ASSASSINOS REAIS
(COMPRE JÁ)

Social Killers Amigos virtuais, assassinos reais Você realmente conhece todas aquelas pessoas listadas como seus amigos? Se o velho ditado “quem vê cara não vê coração” for mesmo verdade, o que se pode dizer sobre todos aqueles avatares sorridentes que você adicionou? A realidade, ainda que virtual, pode ser bem mais assustadora que a ficção. Enquanto um vampiro precisaria ser convidado para entrar, um psicopata on-line não vai perder a oportunidade de entrar quando encontra janelas abertas. Cuidado com o que você curte. Social Killers – Amigos Virtuais, Assassinos Reais é um livro assustadoramente verdadeiro. Seus autores, RJ Parker e JJ Slate, reúnem alguns dos casos mais angustiantes de criminosos que usaram as redes sociais para se aproximar de suas vítimas. Stalkers, predadores sexuais, assassinos, canibais, torturadores. A lista, infelizmente, não é pequena. E novas solicitações de amizade continuam chegando a cada dia. Parker e Slate deixam claro que esse não é um fenômeno novo. Muito antes da internet, criminosos usavam classificados de jornal para descobrir e atrair suas presas. Mas o anonimato da web permite que cada vez mais lobos usem roupas de cordeiro nas suas fotos de perfil. Mas existe luz no fim do túnel. Analisando mais de 30 casos famosos, os autores demonstram como as forças da lei estão usando, com sucesso, as novas ferramentas de comunicação para investigar e prender foras da lei e desmantelar quadrilhas. E ainda ensinam dicas de segurança. Social Killers – Amigos Virtuais, Assassinos Rais é um alerta para todos nós, que passamos tanto tempo conectados. Com Social Killers, Amigos Virtuais, Assassinos Reais, a DarkSide Books amplia sua coleção Crime Scene, que já conta com os livros Serial Killers – Louco ou Cruel? e Serial Killers – Made in Brazil, de Ilana Casoy; a premiada biografia Manson, de Jeff Guinn; e o best-seller Serial Killers, Anatomia do Mal, de Harold Schechter. Histórias reais, indicadas para quem tem o espírito investigador e não se assusta facilmente.


0 comentários:

Postar um comentário


Copyright © 2014 | 2016, Hoje é dia de Livro
Versão 2.1 | Hoje é dia de Livro